Nexaas
February 15, 2021

Roberta

PDV Móvel ou Fixo (Desktop)?

Sabemos que selecionar o melhor modelo de PDV para sua loja pode ser algo desafiador e tomado por dilemas estratégicos, mas, com esse post, esperamos elucidar algumas questões que podem surgir ao longo do processo de escolha.

O que é o PDV?

No varejo, o PDV (ou Ponto de Venda) é onde, de fato, a venda se concretiza. Todas as lojas têm que ter um PDV para poder funcionar, podendo ser: uma frente de caixa com um computador que roda o sistema de PDV ou um PDV móvel onde o sistema roda em um dispositivo como um celular, tablet ou de pagamentos SmartPOS, que são vinculados às operadoras de cartão. 

Como funciona o PDV fixo?

As diferenças entre os modelos de PDV começam pela parte física. Com o modelo fixo, o equipamento é maior: um computador e alguns periféricos como impressora, leitor de código de barras, entre outros. Portanto, ficam instalados em um balcão que ocupa, no mínimo, um metro quadrado e, literalmente, não dá para movê-los pela loja.

Com apenas um computador realizando as vendas, se há um problema de hardware ou software, o caixa tem que lançar a venda no sistema posteriormente, o que torna o processo passível de erro, mesmo que não haja perda financeira. Além disso, o controle de estoque pode ser prejudicado e a experiência do cliente é afetada negativamente. De maneira geral, o PDV fixo está mais suscetível à necessidade de suporte técnico, o que gera um custo extra para o lojista.

As consequências da pandemia para o varejo:

A crise que afetou a todos em 2020 e a falta de capital para investimento aliada à uma resistência típica dos pequenos varejistas em relação às inovações tecnológicas são fatores que contribuem para a relutância em aderir ao PDV móvel. Mas o que os varejistas deveriam levar em consideração é o custo benefício. O investimento é relativamente baixo para um ganho muito maior em agilidade, praticidade e experiência do cliente.

Ainda com relação à pandemia, o volume de vendas no formato delivery (venda onde os produtos são enviados para o cliente escolher em casa) aumentou significativamente e, com a facilidade do PDV móvel, é possível não só entregar o produto mas também efetuar a cobrança no momento da entrega.

Vantagens do PDV móvel:

Ao livrar o espaço dos equipamentos, o varejista pode usá-lo para melhorar a circulação dos clientes dentro da loja ou aumentar os espaços de exposição de produtos. Outra vantagem é que, ao eliminar o computador, cada vendedor com uma maquininha em mãos se torna um caixa, agilizando o atendimento, eliminando filas e melhorando toda a experiência do consumidor. 

O PDV móvel supre cada vendedor com todos os dados necessários na palma da mão. É um sistema que veio para inovar e facilitar as operações do varejo, permitindo gerenciar todas as informações de uma loja e todos os seus canais de venda de maneira que não seja necessário estar presente em uma loja física para acompanhar o faturamento ou ter uma visão completa do estoque em tempo real, basta ter acesso à internet, de qualquer lugar.

É possível abastecer os vendedores com informações a respeito da jornada de compra dos clientes a fim de oferecer um atendimento mais personalizado, ágil e inteligente sem que para isso seja necessário acessar um computador. Dessa maneira, toda a inteligência do sistema está ao alcance de todos os vendedores em todos os momentos.

Os terminais de PDV móvel disponibilizam informações detalhadas sobre os clientes, como compras feitas anteriormente, tipo de produto que procura ou prefere, qual a frequência de compra, como prefere comprar - se online ou offline -, se prefere receber o produto em casa ou retirar na loja, entre outros dados valiosos para tornar a interação da marca com o consumidor cada vez mais fluida, personalizada e inteligente. Todos esses registros vão  servir também como insumo para o sistema de CRM da loja, ajudando a desenvolver ações de marketing mais assertivas de acordo com o público e a estratégia.

A tecnologia utilizada nos PDVs móveis é mais acessível e mais econômica que os modelos desktop, pois reúnem todas as funções em um só dispositivo, armazenamento de informações em nuvem, menos gasto com suporte técnico, treinamento, licenças, entre outros. 

Então por que alguns ainda escolhem o PDV fixo em detrimento do móvel?

Existem alguns mitos no mercado de que o PDV móvel não atende a determinadas necessidades operacionais de alguns varejistas. Um deles envolve a dependência do SAT no estado de São Paulo, que é um dispositivo usado como sistema de contingência à autorização do fisco que é necessário em todos os PDVs. O que muitos não sabem é que, em caso de necessidade de uso, basta plugar o device à maquininha do PDV móvel e o problema está solucionado. 

Algumas peculiaridades do mercado brasileiro também são levadas em consideração ao se escolher o tipo de PDV. No caso de grandes redes de lojas, que usam o sistema de crediário frequentemente, varejistas tendem a ver incompatibilidade com os PDVs móveis por uma questão de usabilidade. São muitos os dados de cadastro e por não ter um sistema adaptado para o celular, deixa o processo inviável. Para casos como este, é importante que o aplicativo seja pensado para o uso no celular. Vale pontuar também que a evolução dos softwares de PDV móvel é contínua e que as empresas de tecnologia, como a Nexaas, estão sempre evoluindo para atender os varejistas em suas demandas.

Que conclusões podemos tirar?

O PDV móvel é a evolução natural do ponto de venda fixo, onde talvez a resposta não seja uma migração absoluta do desktop para o PDV móvel, mas um desmembramento das operações de venda, com o PDV móvel, e administrativas que podem ser feita em um terminal fixo, mas fora da loja, no estoque ou em outro lugar que não ocupe espaço nem atrapalhe o fluxo de clientes e vendedores.

Podemos nos perguntar o porquê do PDV móvel ainda não estar mais inserido no varejo brasileiro e a resposta não é simples, nem ao menos definitiva, mas ela aponta para uma característica do nosso mercado que ainda é muito resistente a essas novas tecnologias que já são amplamente utilizadas em outros países referência em varejo, como os Estados Unidos. O Brasil tem uma lógica de funcionamento própria com as peculiaridades locais e qualquer solução que seja trazida de fora precisa ser adaptada para ser bem aceita, não só pelos grandes do varejo no país e nem apenas para alguns consumidores, mas pelo mercado como um todo.

A inovação acontece aos poucos e não pode ser inalcançável pela maioria. A ideia de que evoluir é apenas romper com o modelo anterior e que isso envolve alto risco é prejudicial para o mercado.

A inovação deve acontecer gradualmente, contemplar todos e ter diferentes níveis de investimento e risco. 





























Mais sobre os assuntos

Cadastre-se para receber mais conteúdos